6 livros sobre gerir uma equipe multidisciplinar

Organizar uma equipe multidisciplinar pode trazer muitos benefícios às empresas – e também vários desafios aos gestores. Afinal, basicamente, esse tipo de equipe compreende profissionais com habilidades técnicas, formações, perfis, comportamentos e experiências variadas.

Para conseguir unir todos esses pensamentos divergentes em prol de um objetivo comum é essencial que o gestor tenha maleabilidade e consiga conversar com todos, motivando-os de forma adequada.

Se você quer entender mais sobre o tema e ver dicas de como gerir equipes multidisciplinares, continue a leitura!

Por que investir em uma equipe multidisciplinar?

Embora possa parecer um desafio gerir pessoas tão diferentes, uma equipe multidisciplinar oferece uma série de vantagens, como:

  • troca de experiências;
  • equipes mais autossuficientes;
  • aumento da criatividade;
  • discussões variadas;
  • diversos pontos de vista para o mesmo problema;
  • desenvolvimento de resultados mais diferenciados e inovadores.

Quais os melhores livros sobre gerência de equipes multidisciplinares?

Já está convencido a investir na multidisciplinaridade na sua empresa? Veja alguns livros que podem ajudar a gerir melhor esse time.

1. Gestão: como envolver e montar a equipe para o sucesso

Esse livro foi escrito por Stuart Crainer e Des Dearlove e faz parte da série Thinkers50, um ranking global com os principais “gurus” do pensamento em administração. Na obra, os autores buscam trazer uma definição mais abrangente de gestão e dar dicas importantes para gerenciar pessoas, liderar equipes e alcançar resultados.

2. De volta ao mosteiro: o Monge e o Executivo falam de Liderança e Trabalho em Equipe

O Monge e o Executivo é considerada uma obra clássica dentro do universo da administração. Nesse livro, ambos os personagens retornam ao retiro onde se conheceram e agora buscam entender melhor a formação dos grandes líderes e a habilidade de transformar pessoas e de montar equipes de alto desempenho.

3. Construindo uma Cultura Magnética

Neste livro, Kevin Sheridan traz dicas sobre como atrair e manter profissionais talentosos, de maneira a criar equipes engajadas e produtivas. Para isso, o autor traz alguns exemplos reais dos anos em que trabalhou como consultor, apresentando táticas e estratégias para desenvolver e manter uma cultura magnética nas empresas.

4. As 17 incontestáveis leis do trabalho em equipe

Considerado um dos títulos mais importantes do trabalho em equipe, esse livro de John C. Maxwell reúne as principais regras para tornar o trabalho dos seus times mais eficiente, entendendo como as equipes funcionam e como potencializar ao máximo cada integrante.

5. Equipes brilhantes

Esse livro de Daniel Coyle figurou na lista de best-sellers do The New York Times e foi eleito um dos melhores livros de negócios de 2018 pela Bloomberg e Library Journal. Com base em pesquisas científicas, o autor identifica três habilidades principais que geram cooperação e coesão nas equipes e demonstra de que maneira grupos heterogêneos conseguem funcionar como uma mentalidade única.

6. Equipes solidárias

O livro de Renata Di Nizo vai ajudar você a entender melhor como funciona uma equipe multidisciplinar. Para isso, ela discute a importância das empresas celebrarem a diversidade e também dá dicas para que esses grupos funcionem de maneira adequada, favorecendo o bom desempenho e os resultados.

Como você viu, gerir uma equipe multidisciplinar não é uma tarefa simples. Mas quando a “lição de casa” é bem feita são muitos os resultados positivos que podem ser alcançados.

Gostou da nossa seleção de leitura? Compartilhe essas dicas com seus amigos gestores nas redes sociais!

3 filmes sobre a falta de gasolina

Em 2018 o Brasil passou por uma completa falta de controle de abastecimento em todos os setores da economia.

Com a greve encabeçada pelos caminhoneiros muitos transtornos foram vividos, tanto por empresas quanto por consumidores.

Afinal, sem ter a quem recorrer e com a crescente adesão dos motoristas, as atividades mais triviais como abastecer um veículo se tornaram verdadeiros martírios.

Contudo, a partir do momento em que as reivindicações foram atendidas e os caminhoneiros voltaram para as estradas, tudo se normalizou e houve controle de abastecimento novamente.

Ficção x Realidade

O cenário acima não é igual em filmes que abordam crises, pois, raramente a história tem uma solução prática como dialogar e reestabelecer a normalidade.

No paralelo com a greve nacional, por mais desgastante que tenha sido todo o processo, o fato é que ela acabou e tudo o que conhecemos retornou.

Para este post, no entanto, trazemos algumas sugestões de filmes que abordam situações extremas. Assista-os e veja como acontecem e terminam as histórias!

A Caçada (2014)

Na Austrália, dez anos após um colapso econômico e falta de controle de abastecimento, o protagonista Eric (Guy Pearce) é um homem misterioso e violento que tem seu carro roubado.

Na busca por recuperá-lo, encontra o irmão do ladrão de seu veículo, Reynolds (Robert Pattinson) que passa a acompanhá-lo na missão.

Trilogia Mad Max (1980 – 1981 – 1985)

Após assassinar, por engano, o membro de uma gangue, o policial Mad Max vê seu parceiro de trabalho hospitalizado, além de filho e esposa assassinados pelos demais membros do grupo.

Tomado pelo sentimento de vingança, o protagonista passa a ir ao encontro dos criminosos e aniquilar cada um deles.

No filme de sequência, o mundo está em guerra e não há controle de abastecimento, fazendo do combustível um recurso escasso.

Com isso, os sobreviventes estão em situação caótica, em que gangues controlam diversas regiões roubando a gasolina de quem fosse.

O policial Max é um desses alvos e acaba sendo perseguido e desafiado, mais uma vez, por estes inimigos.

Na última parte da trilogia, com o mundo se reorganizando mesmo em meio a falta de recursos e consequente ausência de controle de abastecimento, Max se põe em perigo diversas vezes, tendo a questão energética do ambiente do filme sendo a responsável por ocasionar o maior deles.

Wall-e (2008)

Wall-e é um robô antigo programado para coletar resíduos e foi deixado na Terra, que está devastada e tomada pelo lixo.

Enquanto isso, a população humana migrou para uma estação espacial, a Axiom, uma vez que o planeta está inabitável. Lá, as pessoas contam com alta tecnologia e privilégios, com controle de abastecimento, uma vez que não lhes falta subsídios de sobrevivência.

Em sua rotina de coleta e organização de entulho, Wall-e encontra Eva, uma robô de tecnologia avançada, que tem a missão de encontrar vida na Terra. Todas essas características fazem da animação um conteúdo altamente educativo.

Após todos esses títulos, vale investir tempo em uma sessão pipoca — cheia de petiscos, já que, após a greve dos caminhoneiros, não falta nada nas prateleiras dos comércios, dada a retomada do controle de abastecimento — em que aventura, ação e, até mesmo reflexão são parte do entretenimento!

3 livros sobre Gestão de Frotas

livros sobre Gestão de Frotas

Para haver uma gestão de frotas com excelência a forma organizacional deve ter métodos e atividades com um viés estratégico, é primordial que as empresas valorizem conheçam a fundo e valorizem o gerenciamento deste setor.

São as rotinas associadas ao transporte de uma empresa, desde as mais simples até as de maior complexidade e impacto.

Sendo assim, esse artigo tem o intenção de indicar 3 livros que destacam a importância da gestão de frotas para as empresas, são obras que tratam da necessidade de uma metodologia precisa. Esse comprometimento com o setor salvará muitas empresas.

1. Gestão logística do transporte de cargas

Esta obra tem o intuito de se aprofundar os problemas que a gestão de cargas enfrenta atualmente. Ele se concentra em auxiliar gestores à redução significativa de custos nas empresas por meio da logística.

Seus autores, Ricardo Silveira Martins e José Vicente Caixeta Filho acreditam que se faz necessário uma forte política de desenvolvimento nacional e regional, voltada para uma forte infraestrutura de transportes, e assim escreveram o livro.

2. Gestão sobre manutenção de frotas

Se você deseja ler uma obra escrita por um mestre em engenharia mecânica, a recomendação é esse livro. Frederico Matos é graduado pela Universidade Federal de Santa Catarina e vem desenvolvendo estudos sobre gestão de frotas desde 1994.

Com certeza, há experiência sobrando por estas páginas. O foco do livro está nos fundamentos gerais aplicados na metodologia da gestão. Ele trata de técnicas específicas para gerenciamento de pneus, análise de combustível, padronização de reparos.

Você verá também, a análise de ciclo de vida e cálculo de metas, estatísticas para estimativa de intervalo de preventiva, a organização de liderança e equipe, bem como a gestão de suprimentos e plano de lubrificação. Leitura completa!

3. Gerenciamento de transportes e frotas

Livro de vários autores, é uma obra que mostra a realidade do mercado. O setor de transportes concorrido sofrendo com as alterações provenientes do desenvolvimento tecnológico e econômico.

Livro de leitura fácil e descomplicada, onde, Amir Mattar busca contribuir para melhoria na gestão das frotas e modernização dos recursos que estiverem disponíveis. Será uma ótima maneira de obter conhecimento para a real situação do mercado de transportes.

Por fim, depois de se aprofundar nesses livros, fica mais fácil gerir o planejamento e manutenção das frotas, buscando a otimização das funções veiculares sob a visão da confiabilidade, disponibilidade e dos custos.

Os sólidos resultados com certeza surgirão e a formação de diversos gestores de manutenção de frotas sustentarão o sucesso do método que é proposto.

Criar um método sólido de gestão de frotas faz parte do diferencial para qualquer empresa, tendo em vista que constituí em um competitivo significativo. Ademais, por ocupar uma posição relevante dentro de custos corporativos é um departamento que apresenta imenso potencial de redução dos gastos e otimização da logística empresarial.

E se você conhece alguém que anda a procura de obras sobre este assunto, compartilhe este artigo em suas redes sociais!

Conheça o quadro da educação infantil brasileira

Apesar de extremamente importante, a educação infantil ainda não é vista como prioridade em muitos estados brasileiros. Em 2015, de acordo com a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD), apenas 25% das crianças menores de 4 anos frequentavam a creche ou a pré-escola.

Esse número reflete bem um problema usual em várias cidades do Brasil: a falta de vagas na pré-escola e em creches. Além desse, ainda existem outros problemas enfrentados na educação infantil. Quer saber mais? Continue a leitura!

Educação infantil: principais problemas

Não é de hoje que a educação dos mais novos é colocada em segundo plano pelas políticas educacionais. Como esse é um setor que deve ser mantido pelos municípios, muitas cidades sofrem com a falta de verba, que costuma ser bem menor do que à destinada para outras séries, como fundamental e médio.

E isso tem um motivo: geralmente as vagas nas creches e pré-escolas públicas é majoritariamente destinada às classes média e baixa, já que, nesses estratos sociais, a maioria dos pais conta com longas jornadas de trabalho.

Enquanto as classes mais ricas podem pagar por escolas particulares, os mais pobres sofrem com a falta de vagas e um ensino deficitário, já que as verbas costumam ser insuficientes.

Outro problema é o despreparo de muitos educadores, também fruto de um orçamento público reduzido. Assim, com salários mais baixos e poucos atrativos, os professores mais preparados acabam buscando vagas melhores no ensino privado.

A importância da educação nos primeiros anos

Outro motivo que faz com que os recursos destinados à educação na primeira infância sejam escassos é o entendimento de que: ela não é importante e não é necessária mão de obra especializada para lidar com as crianças.

Essas duas prerrogativas não são verdadeiras. Até os 6 anos de idade, a criança que recebe uma educação formal consegue desenvolver melhor vários aspectos, como físicos, intelectuais, psicológicos e sociais.

O educador é o responsável por construir os alicerces de todo o processo de aprendizagem e de socialização dessa criança, para que a sua experiência escolar seja proveitosa e também para que ela venha a se tornar um cidadão consciente e uma pessoa sociável.

Na primeira infância é justamente quando desenvolvemos nossa identidade e também a nossa estrutura física, intelectual e sócio-afetiva. Por isso, contar com um desenvolvimento e uma orientação adequados é extremamente importante, não apenas para aprendermos a ler ou fazer cálculos, mas para nos tornarmos seres humanos melhores, mais críticos, empáticos e atuantes.

Como ajudar a melhorar a educação infantil?

Garantir que mais crianças tenham acesso a uma educação de qualidade deveria ser uma preocupação de todos. Porém, sabemos que nem sempre essa é a realidade.

Famílias carentes e sem condições de pagar por uma escola privada, acabam muitas vezes deixando seus filhos com pessoas despreparadas para conseguir cumprir a jornada de trabalho. Outra realidade são os mais velhos que acabam deixando a escola para cuidar dos irmãos mais novos, o que cria um ciclo de evasão escolar e de falta de acesso à educação em toda a família.

Para resolver essa situação, existem muitos programas que merecem destaque. Um deles é o apadrinhamento financeiro. Organizações sociais sérias, como é o caso do ChildFund Brasil, disponibilizam em seu site histórias das crianças atendidas pelos projetos e dão a oportunidade de o doador escolher uma delas para apadrinhar.

Dessa maneira, com doações mensais mínimas de R$ 57, é possível ajudar mais crianças a terem acesso à educação, reduzir os níveis de evasão escolar e garantir que elas tenham oportunidade de se desenvolverem plenamente.

Para se ter uma ideia, a cada ano de estudo existe um aumento médio de 15% no salário do trabalhador. Isso significa que a educação é capaz de modificar a realidade dessas pessoas, quebrando o ciclo de pobreza e de evasão escolar.

Gostou de saber mais sobre a situação da educação infantil no Brasil – e de entender como você pode ajudar a modificar esse quadro? Aproveite e compartilhe essas informações com os seus amigos nas suas redes sociais!

Saiba como escolher um curso de EaD em Letras!

curso-de-letras

Letras é um dos cursos mais tradicionais e também mais procurados entre as opções EaD. Afinal, com essa graduação, o profissional poderá lecionar várias disciplinas, como português, línguas estrangeiras e literatura, ou ainda trabalhar traduzindo e revisando textos.

Porém, na hora de encontrar a melhor opção, tanto de graduação como de pós na versão EaD, muitos alunos ficam em dúvida. Esse é o seu caso? Então veja as dicas importantes que separamos!

O que considerar na hora de escolher um EaD em Letras?

Para não acabar se arrependendo do meio do curso, o melhor a fazer é buscar por uma instituição de ensino séria e reconhecida. Existem algumas pistas que indicam que o curso é de qualidade. Veja as principais.

Credenciamento

É fundamental que o curso seja credenciado junto ao MEC para que o seu diploma tenha validade em todo o território nacional. Isso só é possível caso a instituição de ensino esteja autorizada e seja reconhecida pelo MEC.

Para descobrir se o curso que você está analisando é credenciado, basta acessar o site e-MEC. Nele, é possível inclusive listar os cursos que foram extintos ou estão sub judice.

Nota MEC

Outra forma de saber se o EaD é de qualidade é a nota dada pelo MEC, garantindo que a instituição e o curso de Letras atendem aos requisitos básicos necessários para a categoria de ensino à distância. Essa informação também está disponível no site que linkamos acima.

Para montar essa nota, o órgão considera o Conceito Preliminar do Curso (CPC), dado apenas depois da comissão do MEC ter avaliado a instituição de ensino e o curso in loco.

Polo Presencial

Embora o curso seja à distância, é de suma importância que a instituição ofereça polos presenciais, ou seja, unidades de ensino fisicamente adequadas às necessidades dos professores e alunos.

Dessa forma, o polo deve ter salas de aulas, banheiros, auditórios, equipamentos de videoconferência, computadores conectados à internet, biblioteca, entre outros recursos.

Tutores

São eles os responsáveis por acompanhar o aprendizado do aluno, tirando dúvidas e oferecendo todo o suporte necessário. Para isso, é fundamental que esses tutores tenham formação superior na área do curso, qualificação em EaD, além de outras titulações, como mestrado e doutorado, garantindo a qualidade do ensino.

Coordenadores

É muito importante que os coordenadores tenham experiência em lecionar no ensino superior, sendo preferível àqueles com título de doutor, mestre ou especialista. Outro ponto que conta a favor é coordenadores com experiência em EaD.

Informações e opiniões

Além de toda a parte técnica, não se esqueça de conferir como é a reputação da instituição de ensino e do curso de Letras. Para isso, você pode pesquisar em sites como o Reclame Aqui ou até analisar a opinião das pessoas nas redes sociais, ficando sempre atento para os problemas recorrentes e para a forma como a empresa se coloca para resolver essas questões.

Pós-graduação em Letras: dicas importantes

As dicas que demos acima valem tanto para escolher uma graduação como uma pós-graduação EaD em Letras. No último caso, contudo, vale à pena ficar atento a outros detalhes, como:

  • grade curricular e carga horária;
  • necessidade de encontros presenciais (geralmente a apresentação da monografia e algumas provas precisam ser feitas pessoalmente nos polos credenciados);
  • experiência dos professores na área escolhida, além de titulação acadêmica;
  • reconhecimento do mercado;
  • credenciamento no MEC;
  • material de apoio e formato das aulas, garantindo dinamismo e favorecendo o aprendizado.

Está procurando uma pós graduação em Belo Horizonte? O Instituto Pedagógico Brasileiro oferece várias opções de EaD em Letras, incluindo a segunda licenciatura, língua portuguesa e literatura, revisão de textos e muito mais.

Somos focados no ensino à distância, associados da ABED (Associação Brasileira de Educação à distância) e contamos com 100% de professores mestres e doutores.

Com todas essas dicas, ficou mais fácil encontrar o curso EaD em Letras de qualidade e adequado as suas necessidades? Se ainda restou alguma dúvida, é só deixar um comentário. E se o post foi útil, compartilhe nas suas redes sociais com os seus amigos!

Conheça os 7 poetas negros mais brilhantes

O Brasil possui uma população bem miscigenada, logo, nós temos muitos poetas negros. Apesar de nem todos serem famosos, eles são muito importantes para nossa cultura e marcaram a história com suas publicações. Desde os mais antigos aos contemporâneos, todos têm o seu lugar nas artes brasileiras e devem ser reverenciados.

Por isso, fizemos uma lista com alguns dos poetas negros mais brilhantes do nosso país. Continue a leitura e confira!

1. Maria Firmina

Nascida em São Luís (MA), foi a primeira professora concursada do seu estado, aos 22 anos. Também, foi pioneira ao escrever o primeiro romance abolicionista do país e ser a primeira mulher negra a publicar um livro, com “Úrsula” (1859). Ainda, lançou os poemas “Parnaso maranhense” (1861) e muitos outros em diversos jornais, além de composições musicais. Em 1880, após se aposentar, criou uma escola gratuita e mista.

2. Machado de Assis

Considerado por muitos como um dos maiores nomes da literatura brasileira. Joaquim Maria Machado de Assis publicou além de romances, também, poemas, contos e peças de teatro. Foi pioneiro na crônica em diversos jornais e um dos fundadores da Academia Brasileira de Letras. Produziu mais de 50 obras, entre as mais famosas, estão: “Memórias Póstumas de Brás Cubas” (1881); “O Alienista” (1882); “Quincas Borba” (1891) e “Dom Casmurro” (1899).

3. Elisa Lucinda

Além de poetisa, é atriz, cantora e jornalista, conhecida por aparições em novelas, filmes e recitais em teatros, escolas e empresas pelo país. Escreveu livros como “A Lua que menstrua” (1992); “Eu te amo e suas estreias” (1999); “A Fúria da Beleza” (2006); “A Poesia do encontro” (2008); “Fernando Pessoa, o Cavaleiro de Nada” (2014), além de vários discos de poesias.

4. Cruz e Sousa

João da Cruz e Sousa, também conhecido como Dante Negro ou Cisne Negro, era filho de escravos libertos, mas foi educado pela família do seu ex-senhor, Guilherme Xavier de Sousa, de quem adotou o nome Sousa. Aprendeu latim, francês e grego, além de matemática e ciências naturais. Em vida, publicou os livros: “Broquéis” (1893); “Missal” (1893) e “Tropos e Fantasias” (1885). Postumamente, foram lançados “Evocações” (1898); “Faróis” (1900); “Últimos Sonetos” (1905), entre outros.

5. Conceição Evaristo

Criada em uma favela de Belo Horizonte, foi empregada doméstica e terminou a escola apenas aos 25 anos. É formada em Letras, mestre em Literatura Brasileira, doutora em Literatura Comparada e estreou em 1990 na antologia Cadernos Negros. Ainda, escreveu os romances: “Ponciá Vicêncio” (2003); “Poemas da recordação e outros movimentos” (2008) e “Insubmissas lágrimas de mulheres” (2011).

6. Fátima Trinchão

Graduada em Letras – Francês, essa escritora baiana estreou em um jornal com o poema “Contemplação”. Tem como tema maior as questões sociais enfrentadas pelos afrodescendentes. Fez parte das antologias “Hagorah” (1984); “Baia de Todos os Encantos” (2011); “Versos e Contos” (2010); “Versatilavra” (2010) e “Cadernos Negros”. Além disso, escreveu os livros “Contos, crônicas e artigos” (2009) e “Ecos do passado” (2010).

7. Abdias Nascimento

Nasceu no ano de 1914 em Franca (SP) e era escritor, político, artista plástico, teatrólogo e poeta. De família pobre e neto de uma escrava, aprendeu com a cultura popular dos mais velhos e se tornou ativista do movimento negro. Lecionou na Universidade do Estado de New York, nos EUA, foi professor do Cultura Africana no Novo Mundo do Centro de Estudos Porto Riquenhos e professor convidado na Universidade de Ife, na Nigéria. Possui uma obra vasta, incluindo o livro de poesias “Axés do sangue e da esperança: Orikis” (1983).

Como vimos, o Brasil é rico em poetas negros excepcionais, muitos deles são desconhecidos pelo grande público, mas alguns já alcançaram o mundo. Existem muitos outros, essa é apenas uma pequena parte, e prova que a literatura rompe barreiras sociais e raciais, para encantar as mentes e corações dos amantes da poesia.

Você conhece outros poetas negros ou deseja acrescentar algo? Deixe seu comentário e participe da conversa!

Quais são os benefícios da leitura?

Ler, além de ser extremamente relaxante para algumas pessoas, ainda pode trazer muitas vantagens a saúde do seu cérebro. Entre os inúmeros benefícios da leitura estão o estímulo a criatividade, a imaginação, a expansão do vocabulário e do conhecimento – fazendo com que o leitor consiga viajar para mundos variados sem sair do lugar.

Justamente por tudo isso é que a leitura deveria ser cada vez mais valorizada. A falta de tempo e a rotina agitada acabam sendo desculpas de muitas pessoas. Mas a verdade é que a tecnologia tem nos condicionado a lermos cada vez menos – e a prestarmos ainda menos atenção no pouco que lemos.

Se você quer modificar esse quadro, continue lendo este post e veja quais são os benefícios da leitura – e porque você deveria aumentar o número de livros na sua casa!

1- Estimula o cérebro
Para que nosso cérebro funcione como deveria é primordial que exista estímulo constante. Passar horas em frente à TV, recebendo informações de modo passivo, é algo muito ruim para o nosso cérebro, uma vez que ele não é desafiado e não precisa pensar para fazer as analogias básicas.

De acordo com uma pesquisa realizada pela Universidade Emory, dos Estados Unidos, ler faz com que o nosso cérebro acredite que realmente tenha vivenciado aquelas experiências.

Além disso, quem lê frequentemente tem menos chance de sofrer com a velhice, que costuma reduzir o funcionamento do cérebro, protegendo-o contra doenças como o mal de Alzheimer, além de ajudar na hora de obter novos conhecimentos, como o aprendizado de uma língua estrangeira.

2- Melhora a sua criatividade
Além de cuidar da saúde do seu cérebro, o aumento da criatividade também é um dos benefícios da leitura. Afinal, temos que colocar a criatividade para funcionar dando rosto aos personagens, imaginando os cenários e criando a história dentro da nossa cabeça.

Quem quer “turbinar” esse benefício pode dar preferência a livros com épocas ou realidades muito distantes da nossa, como os romances de época ou os livros de fantasia, fazendo com que a sua mente tenha que, praticamente, criar um mundo novo.

3- Aumenta o senso crítico
Pessoas mais críticas são extremamente importantes na sociedade, porque conseguem debater ideias e pensar em soluções mais diferenciadas e profundas. Questionar o modo de vida, a sociedade, a economia, a política e diversos outros pontos somente é possível se você tiver uma boa bagagem cultural – e isso significa também uma boa dose de leitura.

Quando a literatura nos insere em outras épocas, países e culturas, acabamos fazendo reflexões diferenciadas e as quais certamente não faríamos se ficássemos presos apenas a nossa realidade.

Ler pode abrir a sua mente e também lhe tornar mais empático, se colocando no lugar do outro antes de tirar conclusões precipitadas, ajudando você a se tornar uma pessoa melhor.

4- Amplia o seu vocabulário
Um vocabulário mais amplo é primordial para escrevermos e falarmos melhor, nos comunicando de maneira mais assertiva. Esse também é um dos benefícios da leitura, afinal você terá muito mais contato com palavras completamente diferentes e inusitadas – distintas das que você costuma usar no seu dia a dia ou das que são usadas pelas pessoas com as quais você se relaciona.

Além de todos esses benefícios, a leitura ainda: reduz o estresse, melhora a sua memória, faz com que você escreva melhor, aumenta a sua empatia, reduz o preconceito e ajuda você a se tornar uma pessoa mais interessante e com mais assuntos.

Você gostou de saber sobre os benefícios da leitura? Então compartilhe este post com os seus amigos nas suas redes sociais e ajude-os a se tornarem leitores mais habituais!