Conheça o quadro da educação infantil brasileira

Apesar de extremamente importante, a educação infantil ainda não é vista como prioridade em muitos estados brasileiros. Em 2015, de acordo com a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD), apenas 25% das crianças menores de 4 anos frequentavam a creche ou a pré-escola.

Esse número reflete bem um problema usual em várias cidades do Brasil: a falta de vagas na pré-escola e em creches. Além desse, ainda existem outros problemas enfrentados na educação infantil. Quer saber mais? Continue a leitura!

Educação infantil: principais problemas

Não é de hoje que a educação dos mais novos é colocada em segundo plano pelas políticas educacionais. Como esse é um setor que deve ser mantido pelos municípios, muitas cidades sofrem com a falta de verba, que costuma ser bem menor do que à destinada para outras séries, como fundamental e médio.

E isso tem um motivo: geralmente as vagas nas creches e pré-escolas públicas é majoritariamente destinada às classes média e baixa, já que, nesses estratos sociais, a maioria dos pais conta com longas jornadas de trabalho.

Enquanto as classes mais ricas podem pagar por escolas particulares, os mais pobres sofrem com a falta de vagas e um ensino deficitário, já que as verbas costumam ser insuficientes.

Outro problema é o despreparo de muitos educadores, também fruto de um orçamento público reduzido. Assim, com salários mais baixos e poucos atrativos, os professores mais preparados acabam buscando vagas melhores no ensino privado.

A importância da educação nos primeiros anos

Outro motivo que faz com que os recursos destinados à educação na primeira infância sejam escassos é o entendimento de que: ela não é importante e não é necessária mão de obra especializada para lidar com as crianças.

Essas duas prerrogativas não são verdadeiras. Até os 6 anos de idade, a criança que recebe uma educação formal consegue desenvolver melhor vários aspectos, como físicos, intelectuais, psicológicos e sociais.

O educador é o responsável por construir os alicerces de todo o processo de aprendizagem e de socialização dessa criança, para que a sua experiência escolar seja proveitosa e também para que ela venha a se tornar um cidadão consciente e uma pessoa sociável.

Na primeira infância é justamente quando desenvolvemos nossa identidade e também a nossa estrutura física, intelectual e sócio-afetiva. Por isso, contar com um desenvolvimento e uma orientação adequados é extremamente importante, não apenas para aprendermos a ler ou fazer cálculos, mas para nos tornarmos seres humanos melhores, mais críticos, empáticos e atuantes.

Como ajudar a melhorar a educação infantil?

Garantir que mais crianças tenham acesso a uma educação de qualidade deveria ser uma preocupação de todos. Porém, sabemos que nem sempre essa é a realidade.

Famílias carentes e sem condições de pagar por uma escola privada, acabam muitas vezes deixando seus filhos com pessoas despreparadas para conseguir cumprir a jornada de trabalho. Outra realidade são os mais velhos que acabam deixando a escola para cuidar dos irmãos mais novos, o que cria um ciclo de evasão escolar e de falta de acesso à educação em toda a família.

Para resolver essa situação, existem muitos programas que merecem destaque. Um deles é o apadrinhamento financeiro. Organizações sociais sérias, como é o caso do ChildFund Brasil, disponibilizam em seu site histórias das crianças atendidas pelos projetos e dão a oportunidade de o doador escolher uma delas para apadrinhar.

Dessa maneira, com doações mensais mínimas de R$ 57, é possível ajudar mais crianças a terem acesso à educação, reduzir os níveis de evasão escolar e garantir que elas tenham oportunidade de se desenvolverem plenamente.

Para se ter uma ideia, a cada ano de estudo existe um aumento médio de 15% no salário do trabalhador. Isso significa que a educação é capaz de modificar a realidade dessas pessoas, quebrando o ciclo de pobreza e de evasão escolar.

Gostou de saber mais sobre a situação da educação infantil no Brasil – e de entender como você pode ajudar a modificar esse quadro? Aproveite e compartilhe essas informações com os seus amigos nas suas redes sociais!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *