Conheça o quadro da educação infantil brasileira

Apesar de extremamente importante, a educação infantil ainda não é vista como prioridade em muitos estados brasileiros. Em 2015, de acordo com a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD), apenas 25% das crianças menores de 4 anos frequentavam a creche ou a pré-escola.

Esse número reflete bem um problema usual em várias cidades do Brasil: a falta de vagas na pré-escola e em creches. Além desse, ainda existem outros problemas enfrentados na educação infantil. Quer saber mais? Continue a leitura!

Educação infantil: principais problemas

Não é de hoje que a educação dos mais novos é colocada em segundo plano pelas políticas educacionais. Como esse é um setor que deve ser mantido pelos municípios, muitas cidades sofrem com a falta de verba, que costuma ser bem menor do que à destinada para outras séries, como fundamental e médio.

E isso tem um motivo: geralmente as vagas nas creches e pré-escolas públicas é majoritariamente destinada às classes média e baixa, já que, nesses estratos sociais, a maioria dos pais conta com longas jornadas de trabalho.

Enquanto as classes mais ricas podem pagar por escolas particulares, os mais pobres sofrem com a falta de vagas e um ensino deficitário, já que as verbas costumam ser insuficientes.

Outro problema é o despreparo de muitos educadores, também fruto de um orçamento público reduzido. Assim, com salários mais baixos e poucos atrativos, os professores mais preparados acabam buscando vagas melhores no ensino privado.

A importância da educação nos primeiros anos

Outro motivo que faz com que os recursos destinados à educação na primeira infância sejam escassos é o entendimento de que: ela não é importante e não é necessária mão de obra especializada para lidar com as crianças.

Essas duas prerrogativas não são verdadeiras. Até os 6 anos de idade, a criança que recebe uma educação formal consegue desenvolver melhor vários aspectos, como físicos, intelectuais, psicológicos e sociais.

O educador é o responsável por construir os alicerces de todo o processo de aprendizagem e de socialização dessa criança, para que a sua experiência escolar seja proveitosa e também para que ela venha a se tornar um cidadão consciente e uma pessoa sociável.

Na primeira infância é justamente quando desenvolvemos nossa identidade e também a nossa estrutura física, intelectual e sócio-afetiva. Por isso, contar com um desenvolvimento e uma orientação adequados é extremamente importante, não apenas para aprendermos a ler ou fazer cálculos, mas para nos tornarmos seres humanos melhores, mais críticos, empáticos e atuantes.

Como ajudar a melhorar a educação infantil?

Garantir que mais crianças tenham acesso a uma educação de qualidade deveria ser uma preocupação de todos. Porém, sabemos que nem sempre essa é a realidade.

Famílias carentes e sem condições de pagar por uma escola privada, acabam muitas vezes deixando seus filhos com pessoas despreparadas para conseguir cumprir a jornada de trabalho. Outra realidade são os mais velhos que acabam deixando a escola para cuidar dos irmãos mais novos, o que cria um ciclo de evasão escolar e de falta de acesso à educação em toda a família.

Para resolver essa situação, existem muitos programas que merecem destaque. Um deles é o apadrinhamento financeiro. Organizações sociais sérias, como é o caso do ChildFund Brasil, disponibilizam em seu site histórias das crianças atendidas pelos projetos e dão a oportunidade de o doador escolher uma delas para apadrinhar.

Dessa maneira, com doações mensais mínimas de R$ 57, é possível ajudar mais crianças a terem acesso à educação, reduzir os níveis de evasão escolar e garantir que elas tenham oportunidade de se desenvolverem plenamente.

Para se ter uma ideia, a cada ano de estudo existe um aumento médio de 15% no salário do trabalhador. Isso significa que a educação é capaz de modificar a realidade dessas pessoas, quebrando o ciclo de pobreza e de evasão escolar.

Gostou de saber mais sobre a situação da educação infantil no Brasil – e de entender como você pode ajudar a modificar esse quadro? Aproveite e compartilhe essas informações com os seus amigos nas suas redes sociais!

Saiba como escolher um curso de EaD em Letras!

curso-de-letras

Letras é um dos cursos mais tradicionais e também mais procurados entre as opções EaD. Afinal, com essa graduação, o profissional poderá lecionar várias disciplinas, como português, línguas estrangeiras e literatura, ou ainda trabalhar traduzindo e revisando textos.

Porém, na hora de encontrar a melhor opção, tanto de graduação como de pós na versão EaD, muitos alunos ficam em dúvida. Esse é o seu caso? Então veja as dicas importantes que separamos!

O que considerar na hora de escolher um EaD em Letras?

Para não acabar se arrependendo do meio do curso, o melhor a fazer é buscar por uma instituição de ensino séria e reconhecida. Existem algumas pistas que indicam que o curso é de qualidade. Veja as principais.

Credenciamento

É fundamental que o curso seja credenciado junto ao MEC para que o seu diploma tenha validade em todo o território nacional. Isso só é possível caso a instituição de ensino esteja autorizada e seja reconhecida pelo MEC.

Para descobrir se o curso que você está analisando é credenciado, basta acessar o site e-MEC. Nele, é possível inclusive listar os cursos que foram extintos ou estão sub judice.

Nota MEC

Outra forma de saber se o EaD é de qualidade é a nota dada pelo MEC, garantindo que a instituição e o curso de Letras atendem aos requisitos básicos necessários para a categoria de ensino à distância. Essa informação também está disponível no site que linkamos acima.

Para montar essa nota, o órgão considera o Conceito Preliminar do Curso (CPC), dado apenas depois da comissão do MEC ter avaliado a instituição de ensino e o curso in loco.

Polo Presencial

Embora o curso seja à distância, é de suma importância que a instituição ofereça polos presenciais, ou seja, unidades de ensino fisicamente adequadas às necessidades dos professores e alunos.

Dessa forma, o polo deve ter salas de aulas, banheiros, auditórios, equipamentos de videoconferência, computadores conectados à internet, biblioteca, entre outros recursos.

Tutores

São eles os responsáveis por acompanhar o aprendizado do aluno, tirando dúvidas e oferecendo todo o suporte necessário. Para isso, é fundamental que esses tutores tenham formação superior na área do curso, qualificação em EaD, além de outras titulações, como mestrado e doutorado, garantindo a qualidade do ensino.

Coordenadores

É muito importante que os coordenadores tenham experiência em lecionar no ensino superior, sendo preferível àqueles com título de doutor, mestre ou especialista. Outro ponto que conta a favor é coordenadores com experiência em EaD.

Informações e opiniões

Além de toda a parte técnica, não se esqueça de conferir como é a reputação da instituição de ensino e do curso de Letras. Para isso, você pode pesquisar em sites como o Reclame Aqui ou até analisar a opinião das pessoas nas redes sociais, ficando sempre atento para os problemas recorrentes e para a forma como a empresa se coloca para resolver essas questões.

Pós-graduação em Letras: dicas importantes

As dicas que demos acima valem tanto para escolher uma graduação como uma pós-graduação EaD em Letras. No último caso, contudo, vale à pena ficar atento a outros detalhes, como:

  • grade curricular e carga horária;
  • necessidade de encontros presenciais (geralmente a apresentação da monografia e algumas provas precisam ser feitas pessoalmente nos polos credenciados);
  • experiência dos professores na área escolhida, além de titulação acadêmica;
  • reconhecimento do mercado;
  • credenciamento no MEC;
  • material de apoio e formato das aulas, garantindo dinamismo e favorecendo o aprendizado.

Está procurando uma pós graduação em Belo Horizonte? O Instituto Pedagógico Brasileiro oferece várias opções de EaD em Letras, incluindo a segunda licenciatura, língua portuguesa e literatura, revisão de textos e muito mais.

Somos focados no ensino à distância, associados da ABED (Associação Brasileira de Educação à distância) e contamos com 100% de professores mestres e doutores.

Com todas essas dicas, ficou mais fácil encontrar o curso EaD em Letras de qualidade e adequado as suas necessidades? Se ainda restou alguma dúvida, é só deixar um comentário. E se o post foi útil, compartilhe nas suas redes sociais com os seus amigos!

Conheça os 7 poetas negros mais brilhantes

O Brasil possui uma população bem miscigenada, logo, nós temos muitos poetas negros. Apesar de nem todos serem famosos, eles são muito importantes para nossa cultura e marcaram a história com suas publicações. Desde os mais antigos aos contemporâneos, todos têm o seu lugar nas artes brasileiras e devem ser reverenciados.

Por isso, fizemos uma lista com alguns dos poetas negros mais brilhantes do nosso país. Continue a leitura e confira!

1. Maria Firmina

Nascida em São Luís (MA), foi a primeira professora concursada do seu estado, aos 22 anos. Também, foi pioneira ao escrever o primeiro romance abolicionista do país e ser a primeira mulher negra a publicar um livro, com “Úrsula” (1859). Ainda, lançou os poemas “Parnaso maranhense” (1861) e muitos outros em diversos jornais, além de composições musicais. Em 1880, após se aposentar, criou uma escola gratuita e mista.

2. Machado de Assis

Considerado por muitos como um dos maiores nomes da literatura brasileira. Joaquim Maria Machado de Assis publicou além de romances, também, poemas, contos e peças de teatro. Foi pioneiro na crônica em diversos jornais e um dos fundadores da Academia Brasileira de Letras. Produziu mais de 50 obras, entre as mais famosas, estão: “Memórias Póstumas de Brás Cubas” (1881); “O Alienista” (1882); “Quincas Borba” (1891) e “Dom Casmurro” (1899).

3. Elisa Lucinda

Além de poetisa, é atriz, cantora e jornalista, conhecida por aparições em novelas, filmes e recitais em teatros, escolas e empresas pelo país. Escreveu livros como “A Lua que menstrua” (1992); “Eu te amo e suas estreias” (1999); “A Fúria da Beleza” (2006); “A Poesia do encontro” (2008); “Fernando Pessoa, o Cavaleiro de Nada” (2014), além de vários discos de poesias.

4. Cruz e Sousa

João da Cruz e Sousa, também conhecido como Dante Negro ou Cisne Negro, era filho de escravos libertos, mas foi educado pela família do seu ex-senhor, Guilherme Xavier de Sousa, de quem adotou o nome Sousa. Aprendeu latim, francês e grego, além de matemática e ciências naturais. Em vida, publicou os livros: “Broquéis” (1893); “Missal” (1893) e “Tropos e Fantasias” (1885). Postumamente, foram lançados “Evocações” (1898); “Faróis” (1900); “Últimos Sonetos” (1905), entre outros.

5. Conceição Evaristo

Criada em uma favela de Belo Horizonte, foi empregada doméstica e terminou a escola apenas aos 25 anos. É formada em Letras, mestre em Literatura Brasileira, doutora em Literatura Comparada e estreou em 1990 na antologia Cadernos Negros. Ainda, escreveu os romances: “Ponciá Vicêncio” (2003); “Poemas da recordação e outros movimentos” (2008) e “Insubmissas lágrimas de mulheres” (2011).

6. Fátima Trinchão

Graduada em Letras – Francês, essa escritora baiana estreou em um jornal com o poema “Contemplação”. Tem como tema maior as questões sociais enfrentadas pelos afrodescendentes. Fez parte das antologias “Hagorah” (1984); “Baia de Todos os Encantos” (2011); “Versos e Contos” (2010); “Versatilavra” (2010) e “Cadernos Negros”. Além disso, escreveu os livros “Contos, crônicas e artigos” (2009) e “Ecos do passado” (2010).

7. Abdias Nascimento

Nasceu no ano de 1914 em Franca (SP) e era escritor, político, artista plástico, teatrólogo e poeta. De família pobre e neto de uma escrava, aprendeu com a cultura popular dos mais velhos e se tornou ativista do movimento negro. Lecionou na Universidade do Estado de New York, nos EUA, foi professor do Cultura Africana no Novo Mundo do Centro de Estudos Porto Riquenhos e professor convidado na Universidade de Ife, na Nigéria. Possui uma obra vasta, incluindo o livro de poesias “Axés do sangue e da esperança: Orikis” (1983).

Como vimos, o Brasil é rico em poetas negros excepcionais, muitos deles são desconhecidos pelo grande público, mas alguns já alcançaram o mundo. Existem muitos outros, essa é apenas uma pequena parte, e prova que a literatura rompe barreiras sociais e raciais, para encantar as mentes e corações dos amantes da poesia.

Você conhece outros poetas negros ou deseja acrescentar algo? Deixe seu comentário e participe da conversa!

Quais são os benefícios da leitura?

Ler, além de ser extremamente relaxante para algumas pessoas, ainda pode trazer muitas vantagens a saúde do seu cérebro. Entre os inúmeros benefícios da leitura estão o estímulo a criatividade, a imaginação, a expansão do vocabulário e do conhecimento – fazendo com que o leitor consiga viajar para mundos variados sem sair do lugar.

Justamente por tudo isso é que a leitura deveria ser cada vez mais valorizada. A falta de tempo e a rotina agitada acabam sendo desculpas de muitas pessoas. Mas a verdade é que a tecnologia tem nos condicionado a lermos cada vez menos – e a prestarmos ainda menos atenção no pouco que lemos.

Se você quer modificar esse quadro, continue lendo este post e veja quais são os benefícios da leitura – e porque você deveria aumentar o número de livros na sua casa!

1- Estimula o cérebro
Para que nosso cérebro funcione como deveria é primordial que exista estímulo constante. Passar horas em frente à TV, recebendo informações de modo passivo, é algo muito ruim para o nosso cérebro, uma vez que ele não é desafiado e não precisa pensar para fazer as analogias básicas.

De acordo com uma pesquisa realizada pela Universidade Emory, dos Estados Unidos, ler faz com que o nosso cérebro acredite que realmente tenha vivenciado aquelas experiências.

Além disso, quem lê frequentemente tem menos chance de sofrer com a velhice, que costuma reduzir o funcionamento do cérebro, protegendo-o contra doenças como o mal de Alzheimer, além de ajudar na hora de obter novos conhecimentos, como o aprendizado de uma língua estrangeira.

2- Melhora a sua criatividade
Além de cuidar da saúde do seu cérebro, o aumento da criatividade também é um dos benefícios da leitura. Afinal, temos que colocar a criatividade para funcionar dando rosto aos personagens, imaginando os cenários e criando a história dentro da nossa cabeça.

Quem quer “turbinar” esse benefício pode dar preferência a livros com épocas ou realidades muito distantes da nossa, como os romances de época ou os livros de fantasia, fazendo com que a sua mente tenha que, praticamente, criar um mundo novo.

3- Aumenta o senso crítico
Pessoas mais críticas são extremamente importantes na sociedade, porque conseguem debater ideias e pensar em soluções mais diferenciadas e profundas. Questionar o modo de vida, a sociedade, a economia, a política e diversos outros pontos somente é possível se você tiver uma boa bagagem cultural – e isso significa também uma boa dose de leitura.

Quando a literatura nos insere em outras épocas, países e culturas, acabamos fazendo reflexões diferenciadas e as quais certamente não faríamos se ficássemos presos apenas a nossa realidade.

Ler pode abrir a sua mente e também lhe tornar mais empático, se colocando no lugar do outro antes de tirar conclusões precipitadas, ajudando você a se tornar uma pessoa melhor.

4- Amplia o seu vocabulário
Um vocabulário mais amplo é primordial para escrevermos e falarmos melhor, nos comunicando de maneira mais assertiva. Esse também é um dos benefícios da leitura, afinal você terá muito mais contato com palavras completamente diferentes e inusitadas – distintas das que você costuma usar no seu dia a dia ou das que são usadas pelas pessoas com as quais você se relaciona.

Além de todos esses benefícios, a leitura ainda: reduz o estresse, melhora a sua memória, faz com que você escreva melhor, aumenta a sua empatia, reduz o preconceito e ajuda você a se tornar uma pessoa mais interessante e com mais assuntos.

Você gostou de saber sobre os benefícios da leitura? Então compartilhe este post com os seus amigos nas suas redes sociais e ajude-os a se tornarem leitores mais habituais!